Série Deslocamento  |  2016

Uma página de jornal cortada, vazada, violada na sua integridade, não informa mais nada. O olhar procura e não encontra nenhuma palavra.  Só uma imagem perfurada, deslocada, é capaz de ecoar algum som.  A ausência de notícia, as lacunas em aberto, a imagem retirada da sua função informativa, funcionam como um apelo e propõe um momento de reflexão e devaneio. Deslocam o leitor da sua posição tradicional e o convidam a divagar e a criar novas relações com a imagem e com o acontecimento cotidiano.